Gerenciamento de Projetos: Tradicional ou Ágil?

As “metodologias ágeis” estão em “alta”,  ganham cada vez mais espaço nos últimos anos e prova disso é a certificação PMI-ACP criada recentemente pelo PMI.

Esse cenário nos leva a uma pergunta: “O que é melhor para as empresas:Gerenciamento de Projetos Tradicional ou Gerenciamento Ágil de Projetos?”.

A melhor resposta para essa questão é: “Depende”. Isso mesmo, o melhor para uma empresa é ter a gestão adequada à sua realidade e necessidades, ou seja, um gerenciamento de projetos devidamente alinhado e adaptado à cultura da empresa, aos seus objetivos e estratégias, à sua estrutura organizacional.

O Agile assume que estamos em um ambiente de grande incerteza e, portanto, tentar planejar previamente todo o projeto traria consigo um alto grau de especulação, já a abordagem tradicional acredita em um mundo linear com requisitos muito bem definidos e que assim, seria possível planejar com exatidão o projeto antes mesmo do início de sua execução.

Vale ressaltar que o próprio PMBOK prevê planejamento em ondas sucessivas, por iterações, mas pouca gente usa ou sabe que isto é possível. Ou ainda, se sente mais confortável no conhecido planejamento tradicional, com todo o plano feito no início do projeto. Existem diversas discussões sobre onde cada um dos modelos trazem benefícios, onde são conflitantes e até onde se complementam e podem atuar juntos.

O indicado é que os responsáveis pelos projetos conheçam as práticas de ambos, identifiquem de forma clara a necessidade do cliente e/ou solicitante e criem mecanismos que poderão ser traduzidos em uma metodologia interna da organização para aplicar em seus respectivos projetos.